Guia Turístico


Ecossistema
Estudos Científicos
Copa 2014
Cultura
Curiosidades
História
Pontos Turisticos
Culinária
Wallpapers

Hino de Mato Grosso

Curiosidades
Fotos da Cidade
Gastronomia
Informações
História
Hotéis
Pontos Turisticos

Aeroporto
Gastronomia
História
Hino de Várzea Grande
Hotéis

Tô no Portal
Jogos Online
Desenhos Para Colorir

Anuncie
Quem Somos

Fale Conosco






Há várias versões para a origem do nome "Cuiabá". Uma delas diz que o nome tem origem na palavra Bororo ikuiapá, que significa "lugar da ikuia" (ikuia: flecha-arpão, flecha para pescar, feita de uma espécie de cana brava; pá: lugar). O nome designa uma localidade onde os bororos costumavam caçar e pescar com essa flecha, no córrego da Prainha, afluente da esquerda do rio Cuiabá.

Outra explicação possível é a de que Cuiabá seria uma aglutinação de kyyaverá (que em guarani significa "rio da lontra brilhante") em cuyaverá, depois cuiavá e finalmente cuiabá.

Uma terceira hipótese diz que a origem da palavra está no fato de existirem árvores produtoras de cuia à beira do rio, e que "Cuiabá" seria "rio criador de vasilha" (cuia: vasilha e abá: criador). Martius traduz o vocábulo como "fabricante ou fazedor de cuias". Teodoro Sampaio interpreta, duvidando da origem tupi, como "homem da farinha", o farinheiro. De cuy: farinha e abá: homem.

O nome pode se referir, também, aos índios bororos, que também são conhecidos como "cuiabá"Há ainda outras versões menos embasadas historicamente, que mais se aproximam de lenda do que de fatos. O certo é que até hoje não se sabe com certeza a origem do nome.


A menor temperatura registrada foi de 1,2°C em 22 de junho de 1933
A maior temperatura registrada foi de 46,5°C, em 10 de Agosto de 2012.


Aniversario dia 08 de abril, fundada em 08 de abril de 1719 (293 anos)
A baixa altitude de Cuiabá, apenas 177 metros sobre o nível do mar, assim como a sua relativa proximidade da linha equatorial, (Latitude -15º35’56’’), sua grande distância do Oceano (continentalidade), resultam num clima tipo tropical de savana (segundo Köppen) ou, tropical quente semi-úmido pelos meses (jun-set) de poucas precipitações. Por outro lado a ação antrópica, com a diminuição da vegetação, as construções urbanas elevadas, as vias asfaltadas e a frota de veículo, criam na área central um micro-clima mais elevado do que na área rural do município.

Da linguagem cuiabana ( O Cuiabanês)

Nascido em Crato, no Cariri berço do povoamento da Capitania do Ceará que foi criado antes mesmo da Capitania do Mato Grosso, Pedro Rocha Jucá acaba de concluir seu livro virtual sobre o linguajar cuiabano. Ele diz que as origens do modo que se fala aqui e em sua terra natal são semelhantes. “Nas minhas pesquisas, encontrei um alto índice de palavras semelhantes ainda em uso nos atuais Estados. Mas aqui em Mato Grosso, o isolamento geográfico produziu uma riqueza tão valiosa quanto ao ouro, ao diamante, às pedras preciosas: uma linguagem que desafia os séculos. As minas se esgotam, mas a riqueza cultural de um povo é enriquecida de geração em geração. Com o livro ‘Da linguagem cuiabana’ destaco tudo isto e fico feliz em participar desse processo, que ainda continua”.


Você já ouviu falar em Jururú ou em digoreste? Não? Então confira algumas palavras do linguajar cuiabano pinçadas do Dicionário Cuiabanês, de William Gomes:

· Abana mão - Ato de saudar, cumprimentar. Ex: “Político em época de eleição abana mão toda hora”
· Ah! Um - Expressão que indica indignação, concordância ou não. É aplicada dependendo da situação, a entonação da voz muda. Ex: “Ah! Um. Pára cô isso”
· Aguacero – Bastante água, poças de água. Ex: “Não deu prá ir lá, tava o maior aguacero na estrada”
· Apanhô prá bestera – Apanhou muito. Ex: “Ela apanhô prá bestera do marido”
· Arroz-de-festa - Denominação de quem não perde nenhuma festa. Está sempre em festa. Ex: “Arroz de festa é quem não sai da festa”
· Atarracado(a) – Abraçado, juntos. Ex: “Os dois tão atarracado ali no escuro”
· Até na orêia – Repleto, cheio, demais. Ex: “Zé Bico comeu tanto peixe, que tá até na orêia”
· Bejô, bejô, quem não bejô, não beja mais – Acabou, terminou. Ex: “Acabou o baile, bejô, bejô, quem não bejô, não beja mais”
· Berrano – Gritando. Ex: “Tomô um murro e saiu berrano”
· Bocó de fivela – Pessoa boba, burra, ignorante. Ex: “Por mais que ocê explica, ela não entende, é uma bocó de fivela”
· Bom demás – Muito bom. Ex: “Lá tá bom demás”
· Bonito prô cê – Expressão que indica quando a atitude tomada, não foi boa. Ex: “Chegô em casa bêbado, bonito prô cê”
· Catcho – Namoro, paquera, amante. Ex: “Aquele cara tá de catcho cô Maria”
· Canháem – Latido de cachorro. Expressão usada para discordar. “Você namora Maria Taquara? Canháem”
· Caínha - Quem não dá nada prá ninguém. Sempre nega. Ex: Deixa de ser caínha, dá um pedaço de pão”
· Catchorro – Expressão de espanto de negação. Ele ficô atrás docê. Catchorro!Aqui não, sou muito home”
· Cêpo – Bom, ótimo. Ex: “O atlético Mato-Grossense era um cêpo de time”
· Coloiado(a) – Junto, próximo em grupo. Ex: “Saldanha Derzi tá coloiado cô Garcia Neto”
· Cordero(a) – Denominação de quem gosta de dar corda nas pessoas. Ex: “Não vai no papo dele, ele é cordero”
· Coxá – Relação sexual. Ex: “Os dois foram coxá”
· Constipação – Gripe. Ex: “Dona Mica pegô constipação”
· Chá por Deus - Expressão de espanto, admiração, dúvida. Ex: Chá por Deus, esse caminhão, não sobe a serra de São Vicente”
· Chuça e Rebuça – Baile. Ex: “Na guarita vai tê hoje uma chuça e rebuça”
· De jápa – Grátis, o que vem a mais. Ex: Quando se compra uma dúzia de bananas, e recebe treze unidades. “Esse adicional é a jápa”
· Demás – Expressão usada para discordar. Ex: “Cuidado. O guarda vai dá nocê. Vai, demás”
· Digoreste – Ótimo, bom, exímio. Ex: “O guri é digoreste pá pega manga”
· Ê ah! - Indagação. Ex: “Ele vem mesmo aqui? Ê ah!”
· Espia lá – Olha lá, veja. Ex: “Espia lá capim já vem”
· Espinhela caída – Dor, problema na coluna vertebral .Ex: “Foi benzê da espinhela caída”
· Futxicaiada – Muito fuxico. Excesso Excesso de mixirico. Ex: “O ambiente ali não tá bom, é só futxicaiada”
· Festá – Festar, participar de festa. Ex: “Tchô Nego da Cruz foi festá”
· Foló – Folgado, largo. Ex: “Maciel usa calça foló”
· Garrô – Pegou, começou, realizou. Ex: “Ele garrô cedo no trabaio”
· Grocotchó – Pessoa mole, doente, desanimado. Ex: “Tchico tá grocotchó”
· Jacá – Cesto de palha ou taquara para guardar peixe na beira do rio e manter vivo. Ex: “Era só pegá o peixe, colocava no jacá, depois tinha sempre fresco”
· Jururú – Triste, quieto. Ex: Padre Luiz Ghisoni tá jururú na porta da igreja de Várzea Grande”
· Leva-e-tráz - fofoqueiro. Ex: “Kitú é um grande leva-e-tráz”
· Levo os córno – complicou tudo. Ex: “Agora sim, levo os córno, o dinheiro acabou”
· Lonjura – Longe, muito distante. Ex: “Nessa lonjura não dá pá ir a pé”
· Malemá – Mais ou menos. Ex: “E aí cumpadre como vai?Vou aqui malemá”
· Mujica - Prato da região, feito de peixe, liso, muqueca. Ex: “Peixada, sem mujica de pintado, não tem graça”
· Mea orêa – Minha orelha. Expressão usada para indicar quem está sem lado, sem falar o nome da pessoa. Ex: “Mea orêa aqui, tá pá morre de fome”
· Micaje – Ato de fazer imitação de alguém, fazer caretas. Ex: “Ela faz micaje de todo mundo que passa por aqui”
· Moage - Frescura. Ex: “Você não quer ir com a gente? Larga de moage!”
· Na xinxa – Levar uma ação com seriedade. Ex: “Professora leva a turma na txintxa”
· Não tá nem aí pá paçoca – Não liga para nada. Não quer saber das conseqüências. Ex: Tchá Bina, não tá nem aí pá paçoca”
· Nariz furado – Veio na vontade, veio na certeza. Ex: “Chegou de nariz furado, certo que iria ganhar na conversa”
· Negatófi – Não, nunca. Ex: “Negatófi, hoje não tem televisão”
· O quá – Duvidar, não acreditar. “Ele vem aqui? O quá!”
· Oreia – Pessoa burra. Ex: “Não adianta explicar, ela é oreia”
· Pá terra - cair. Ex: “Ele vinha correndo, e pá terra!”
· Prá besteira – Bastante, muito, em excesso. Ex: “No saladero tem pacú prá besteira”
· Pranchei de banda – Sai, escapei, tô fora. Ex: “Pranchei de banda, não vou na rua da Lama no Porto”
· Podre de chique – Bonito, elegante, bem vestido. Ex: “Jejé tá podre de chique”
· Pongó – Bobo, tolo, idiota. Ex: “Gente Pongó não serve”
· Por essa luz que me lomea – Pra dizer que está falando sério, que não está mentindo. Ex: “Por essa luz que me lomea, eu vi uma assombração no Terceiro de Dentro”
· Quinco – Denominação carinhosa de Joaquim. Ex: “Quinco Lobo era vereador em Cuiabá.”
· Que, que esse? – O que é isso. Ex: “Que, que esse? Como você apareceu aqui?”
· Quá! – Expressão de espanto, indignação. Ex: “Quá! Pode esquecer ele não volta mais.”
· Quebra-torto – Comer no desjejum comida reforçada como carne com arroz farofa, etc... Ex: “No sítio de manhã, sem quebra-torto é impossível.”
· Quarta-feira – Pessoa boba, idiota. Ex: “O rapaz é quarta-feira.”
· Rapelô – Levou tudo, ganhou tudo. Ex: “O cara rapelô o dinheiro que ele tinha.”
· Rufa – Bater. Ex: “Se aparecer aqui , o povo rufa ele.”
· Refestelá – Sorrir, rir. Ex: “Nico Padero é bom prá refestelá.”
· Ribuça – Cobrir o corpo com lençol ou cobertor. “Tá esfriando, rebuça menino.”
· Rino na chá cara – Rindo na presença de alguém. Ex: “Ocê fala, ele fica rino na chá do cara”
· Sartei de banda – Tô fora, não concordo, não quero mais. Ex: “Não tô namorando, sartei de banda”
· Sucedeu – Aconteceu. Ex: “Quando sucedeu isso?”
· Sujo que tá – Imagem ruim, conceito ruim. Ex: “Ele sujo que tá, não pode participar da diretoria”
· Tá de tchico – Está menstruada. Ex: “Hoje ela não pode tá de tchico”
· Tá té no chifre – Embriagado, bêbado. Ex: “Farpelo tá no Quindú, tá té no chifre.”
· Tchá mãe – Expressão características para xingar alguém . Ex: “Tchá mãe, rapaz, vá tomá na tampa.”
· Toma, corno(a) – Expressão usada quando alguma coisa não acontece de forma correta. Ex: “Toma, corno . Marimbondo pegô na cara dele.”
· Verdolengo(a) – Fruta que está quase madura. Ex: “Ela só come goiaba verdolenga.”
· Verte água – Urinar. “Vidona foi verte água.”
· Vai tomá na peidera – Vai se lascar. Ex: Se qué sabe duma? Vai tomá na peidera.”
· Vôte! – Deus me livre. Expressão de medo e espanto. Ex: “Vôte! Sai daqui capeta, aplica pra tudo.”
· Xispada – Mandar embora, não deixar alguém num certo local. Ex: “ Não ficou ninguém, deram uma xispada na turma.”
· Xô Mano - cumprimento a um amigo, pessoa. Ex:“E aí, xô mano! Tudo jóia?”

Fonte:Viviane Petroli/William Gomes




Receba novidades
no seu e-mail:
Nome:

E-mail:







Todos os direitos reservados ao Portal Mato Grosso Brasil
Desenvolvido por Wagner Augusto